quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Princípios Bíblicos para vencer na Área Financeira


A BOLADA DO PENDURA
Volume total de dívidas dos brasileiros*
janeiro-01 R$ 49 bilhões
julho-01 R$ 62 bilhões
janeiro-02 R$ 68 bilhões
julho-02 R$ 73 bilhões
janeiro-03 R$ 75 bilhões
julho-03 R$ 79 bilhões
janeiro-04 R$ 86 bilhões
maio-04 R$ 95 bilhões
*Cheque especial + crédito pessoal + cartão de crédito + financiamento imobiliário + veículos + outros
A CIRANDA DA DÍVIDA
Empréstimo em financeiras é o mais caro de todos. Taxas cobradas ao mês – em %
Empréstimo pessoal (bancos) 6,6
Crediário 6,74
Cheque especial 9,77
Cartão de crédito 10,63
Empréstimo pessoal (financeiras) 12,82
Uma dívida de R$ 10 mil em um ano vira...
RS 21.500 no empréstimo com bancos
R$ 21.900 no crediário
R$ 30.600 no cheque especial
R$ 33.600 no cartão de crédito
R$ 42.500 no empréstimo em financeira
A ARMADILHA DO CHEQUE ESPECIAL
Juros para o devedor são muito mais altos do que para o aplicador
Julho 1994 Julho 2003
R$ 100 R$ 414 R$ 2.953.997
Rendimento na poupança Dívida no cheque especial
Fonte: Mauro Halfeld
FINANÇAS
Devido à singularidade de cada circunstância, a caminhada para sair das dívidas será unicamente sua. Os dez passos seguintes são um guia para sua jornada. São passos simples mas, para segui-los, é necessário um trabalho árduo. O objetivo é o Dia "D" – Dia sem Dívida, o dia em que você ficará totalmente livre das dívidas.
1. Ore.
Em 2 Reis 4.1-7, uma viúva era ameaçada de perder seus filhos para os credores e apelou para a ajuda de Eliseu. Ele instruiu a viúva a tomar emprestado de seus vizinhos muitos jarros vazios. O Senhor multiplicou de forma surpreendente, sua única posse, uma pequena porção de óleo e, como resultado, todos os jarros ficaram cheios. Ela vendeu o óleo e pagou suas dívidas para livrar os filhos. O mesmo Deus que proveu de forma sobrenatural para a viúva está interessado que você se torne livre de sua dívida também.
O primeiro passo é o mais importante. Ore. Peça a ajuda e a direção do Senhor em sua jornada rumo ao Dia sem Dívida. Ele pode agir de imediato, como no caso da viúva, ou de forma mais lenta, num período maior. Em ambos os casos, a oração é essencial.
Tenho observado uma tendência. À medida em que as pessoas começam a eliminar algumas dívidas e acelerar o pagamento das outras, o Senhor abençoa a fidelidade delas. Mesmo se você puder pagar somente uma pequena quantia em adiantado para reduzir sua dívida, por favor, faça-o. O Senhor pode multiplicar seus esforços.
2. Estabeleça um orçamento por escrito.
Em minha experiência, poucas pessoas têm feito um orçamento por escrito. Podem até ter um cuidadosamente guardado numa gaveta, mas não o têm usado. Um orçamento escrito ajuda você a planejar para o futuro e analisar seus padrões de gastos, para ver quais você poderá cortar. É um freio eficaz no impulso de gastar.
3. Aliste o total de seus bens – tudo que possui.
Faça uma lista de cada item que possui: sua casa, seu carro, mobília etc. Avalie a lista completa para determinar se deveria vender algum deles.
Como disse George Foster: "Sua atitude em relação às coisas determinará seu sucesso no trabalho de se livrar das dívidas. Não pense no quanto estará perdendo ou no quanto pagou pelo item que estiver vendendo. Pense no quanto estará ganhando, que poderá ser aplicado na diminuição imediata de sua dívida."
4. Aliste seus compromissos – tudo que você deve.
Muitas pessoas, em particular as que devem muito dinheiro, não sabem com precisão o quanto devem. No entanto, você deve alistar suas dívidas para ter uma idéia exata de sua atual situação financeira. Precisa alistar também os juros que seus credores estão cobrando por cada dívida.
Ao alistar os juros em sua lista de dívidas, descobrirá que os custos de créditos variam muito. Alistar suas dívidas vai ajudá-lo a estabelecer uma prioridade na redução da dívida.
5. Estabeleça um programa de adiantamento de pagamento para cada credor.
Livrar-se das dívidas pode parecer entediante mas é absolutamente necessário seguir esses passos. Ninguém jamais conseguirá livrar-se de dívidas por acidente. Todos precisamos de um programa de pagamento sistemático por escrito para alcançar o objetivo do Dia "D" – "Dia sem Dívidas".
Depois que fizer os pagamentos mensais, escreva a quantia paga e compute o saldo devedor. Isso dará a você um senso de realização. Será possível visualizar a diminuição do saldo devedor, o que será um incentivo para persistir em seu plano.
Se você está afundado nas dívidas ou devendo pagamentos atrasados, uma boa idéia seria enviar aos credores uma cópia de seu programa de pagamentos. É raro um credor que não esteja de acordo com uma pessoa que faz um esforço sério para pagar sua dívida. O credor apreciará o fato de você ter feito um programa e de desejar apresentá-lo a ele.
Decida qual dívida irá liquidar em primeiro lugar. Sua decisão deve basear-se em dois fatos: o tamanho da dívida e a taxa de juros cobrada.
Liquidação das dívidas pequenas.
Concentre-se em pagar as menores primeiro. Você se sentirá encorajado à medida que elas forem sendo eliminadas e isso irá liberar mais dinheiro para ser aplicado em outras dívidas. Após pagar a primeira, aplique essa quantia na próxima que deseja eliminar. Depois que liquidar com a segunda dívida, aplique a quantia da primeira e da segunda na eliminação da terceira e assim por diante.
Liquidação das dívidas de juros mais altos.
Atente para a taxa de juros cobrada em cada dívida e tente liquidar aquelas que cobram os maiores juros, antes de liquidar as que cobram juros mais baixos.
6. Considere um aumento do orçamento.
Muitas pessoas têm empregos que simplesmente não cobrem um orçamento suficiente para suas necessidades, mesmo que gastem com sabedoria. Há duas questões importantes com respeito a ter um aumento no orçamento. Em primeiro lugar, decida antecipadamente a terminar com as dívidas com os ganhos adicionais. Nossa tendência é gastar mais do que ganhamos, tanto se ganhamos muito, quanto se ganhamos pouco. Parece que os gastos sempre andam à frente dos ganhos. Em segundo lugar, ganhe uma quantia adicional sem prejudicar seu relacionamento com o Senhor ou com sua família. Se é casado, precisará ser criativo para encontrar formas de envolver a família toda numa indústria caseira, ou de encontrar um serviço que una a família, ao invés de separá-la.
No entanto, não importa o quanto de dinheiro adicional você ganhe, a chave está no compromisso de aplicar todos esses extras na redução da dívida e não aumentar os gastos.
7. Não acumule dívida nova.
A única forma que conheço de não acumular dívida extra é pagando à vista, com dinheiro, cheque ou cartão de débito no momento da compra. Isso traz à tona a questão dos cartões de crédito. Não creio que o cartão de crédito seja inerentemente um pecado, mas é perigoso. As estatísticas mostram que as pessoas gastam um terço a mais quando usam cartão de crédito em vez de dinheiro, porque não sentem estar realmente gastando dinheiro, já que estão usando um cartão de plástico. Conforme um comprador falou para o outro: "Gosto muito mais de cartões de crédito que de dinheiro porque eles permitem comprar muito mais!"
Quando Angel e eu começamos este estudo, tínhamos 3 cartões de crédito. Hoje carregamos um. Quando analiso a situação financeira das pessoas com dívidas, uso uma regra simples para apontar se os cartões de crédito são perigosos demais para eles. Se não pagam a quantia total devida ao final de cada mês, encorajo-os a fazerem a cirurgia plástica. Qualquer tesoura boa servirá para isso!
8. Seja satisfeito com o que você tem.
Vivemos numa cultura cuja indústria de propaganda tem maquinado, com poder e sofisticação, métodos de persuadir o consumidor a comprar. Freqüentemente, a mensagem tem a intenção de criar um descontentamento com aquilo que temos.
Uma companhia americana abriu uma fábrica nova na América Central porque a mão de obra era barata e abundante. O início da fábrica correu com tranqüilidade até os trabalhadores receberem seus primeiros pagamentos. No dia seguinte, nenhum dos habitantes do vilarejo compareceu ao trabalho. A gerência esperou... um, dois, três dias. Nenhum deles ainda voltara ao trabalho. O gerente foi procurar o chefe da vila para conversar a respeito do problema. "Por que deveríamos continuar a trabalhar?", perguntou o chefe em resposta ao questionamento do gerente. "Estamos satisfeitos. Já ganhamos todo o dinheiro de que precisamos para viver."
A fábrica ficou inativa durante dois meses até que alguém teve a idéia brilhante de enviar catálogos para compra via postal a cada morador da vila. A leitura dos catálogos criou desejos novos nos moradores do vilarejo. Logo retornaram ao trabalho e não houve problema de falta de empregado desde então.
Considere três fatores:
  • Quanto mais televisão você assiste, mais gasta.
  • Quanto mais olha revistas e catálogos, mais você gasta.
  • Quanto mais você for às lojas, mais você gasta.
Nossa família é uma prova evidente disso. Quando minha filha, de repente, deseja um copo especial de um determinado restaurante de "fast-food", sei que ela viu uma propaganda na televisão. Com certeza, limitar o tempo na televisão limita também nossos desejos.
9. Considere uma mudança radical em seu estilo de vida.
Um número crescente de pessoas diminuiu suas despesas de modo significativo para se livrar das dívidas com mais rapidez. Algumas venderam suas casas e se mudaram para outras menores, alugaram apartamentos ou foram morar com outros membros da família. Muitas têm vendido os carros que têm prestações mensais altas e comprado carros usados baratos para se livrarem das dívidas.
10. Não desista!
Desde o início reconheça que haverá centenas de razões pelas quais você deverá desistir ou postergar seus esforços para se livrar das dívidas. Não caia na tentação de não continuar firme em seu compromisso. Não pare até que tenha alcançado seu objetivo maravilhoso de viver livre das dívidas. Lembre-se de que sair das dívidas é um trabalho bem difícil, mas a liberdade que você terá valerá a pena.
Existe pessoas na igreja que tiveram vitória na administração de recursos e você poderia entrar em contato com elas:
Disse o sábio: "Não se mate de trabalhar, tentando ficar rico, nem pense demais nisso. Pois o seu dinheiro pode sumir de repente, como se tivesse criado asas e voado para longe como uma águia" (Provérbios 23.4,5).
Sugestões
  • Se você não tem um orçamento, elabore um antes do pôr do Sol.
  • Todos precisam de um cobertor, mas nem todos podem ter um casaco de peles (e ninguém precisa de um casaco de peles!).
  • Não fique perambulando pelas lojas quando estiver se sentindo melancólico ou deprimido. Suas decisões deficientes sobre seus gastos acabarão por deixá-lo no "vermelho". Vá direto para casa e fique com saldo credor no seu talão de cheques.
  • Esqueça os vizinhos que aparentemente possuem mais que você. Não tente competir com eles.
  • Cartões de crédito em excesso vão comer todo o seu dinheiro com a voracidade do cupim, deixando-o na pobreza. Destrua-os, caso não possa resistir às suas tentações.
  • O segredo para uma boa saúde financeira é viver de acordo com os seus recursos e isto exige disciplina e determinação.
Como Cortar Despesas
  • Assegure-se de estar obtendo o melhor valor, não apenas o menor custo.
  • Deixe o termostato do seu aquecedor um pouco mais elevado no verão e um pouco mais baixo no inverno.
  • Procure as melhores taxas de seguro.
  • Peça ao seu médico ou farmacêutico indicações sobre os genéricos, que custam menos do que as drogas conhecidas.
A Regra 10-10-80 – Um Plano Prático
  • Pague a Deus – dê os primeiros 10% a Deus. "Dê honra ao Senhor, oferecendo a Ele a primeira parte de tudo quanto você ganha" (Provérbios 3:9,10). Ele diz: "Experimentem! Dêem-Me uma oportunidade de provar que isso é verdade! Suas colheitas serão formidáveis, porque Eu as protegerei dos bichos e das pragas" (Malaquias 3:10). Eu não compreendo isto, mas tampouco compreendo como posso pressionar o botão do controle da minha garagem e ver suas portas se abrirem! Talvez isto funcione simplesmente porque Deus disse que assim seria!
  • Pague a si mesmo – sim, você deu duro. "... Digno é o trabalhador do seu salário" (Lucas 10:7b). Pague a si mesmo 10%. Você pode poupar gastar ou investir este valor. É o seu dinheiro, dado por Deus.
  • Pague suas contas – com os restantes 80%. Ajuste o seu padrão de vida a estes 80% de seus ganhos.
Seguindo este plano simples você vai descobrir que pode evitar dificuldades financeiras e aos poucos acumular uma receita excedente maior do que poderia imaginar. Se você não tiver um plano para determinar para onde vai o seu dinheiro, ele acabará indo para onde bem entender.
Na nota de um dólar americano está estampada a figura de uma águia. A águia sempre voa. Da mesma forma, o dinheiro não "discute" -- ele simplesmente voa! Você pode alcançar liberdade financeira. Procure ajuda se necessário. Seja responsável e faça isto segundo a maneira de Deus!
Dívida
Ninguém que está financeiramente preso pode ser espiritualmente livre, e o efeito da dívida no casamento é evidente nas estatísticas de casamentos mal sucedidos. Ser financeiramente livre ainda é o plano de Deus para o Seu Povo.
O que é dívida?
Dívida é algo que se deve. Deus não diz que não podemos pedir emprestado, mas adverte-nos contra a fiança - dívida sem um modo seguro para pagar. Mas a maior parte da dívida na América é fiança.
Dívida não é crédito. Crédito estabelece uma confiança mútua entre o emprestador e o tomador. Mas o uso indisciplinado de crédito pode rapidamente conduzir à dívida.
Crédito
Hoje, quase todas as pessoas se qualificam para possuir um cartão de crédito, mesmo que o limite seja mínimo.
Para cancelar um cartão de crédito, basta entrar em contato com a administradora e solicitar o cancelamento.
Causas de dívida
  • Ignorância. A maioria das pessoas não estão aptas para lidar com o dinheiro. A atitude de hoje é: Se você quiser algo, adquira-o, você merece - se você não tiver o dinheiro, financie.
  • Indulgência. As pessoas, em geral, tendem a sentir que devem adquirir o que querem, quando querem, e o conceito de economizar para comprar algo parece um conceito estranho.
  • Falta de Planejamento. Sem um plano escrito que mede e monitora a renda e a despesa, você certamente se encontrará em dificuldades financeiras.
Livre-se de dívidas
"O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as conseqüências." (Provérbios 22:3).
  • Dê para Deus primeiro. Seu primeiro compromisso deveria ser o dízimo de sua renda bruta.
  • Pare de tomar emprestado. Isto significa cartões de crédito, empréstimos de bancos ou família - todo o crédito ao consumidor.
  • Desenvolva um orçamento equilibrado. Um orçamento equilibrado é a ferramenta primária para administrar o dinheiro da família.
  • Desenvolva um plano para pagar seus credores. A maioria deles aceitará negociar se sentirem que você realmente quer pagá-los.
  • Aprenda a confiar em Deus. Deus sabe o que você precisa, assim comece a confiar nEle - Espere pela provisão de Deus.
  • Exerça autodisciplina. Restrinja seus impulsos para comprar. Se não estiver no orçamento, não compre.
  • Procure conselhos sábios. Você pode necessitar de ajuda para estabelecer e manter um orçamento e trabalhar com credores.
  • Confie na Palavra de Deus. Baseie suas decisões financeiras nos princípios da Palavra de Deus, não no conselho do mundo.
Se você estiver endividado, está servo de credores, e não livre para servir a Deus. Decida agora sair de dívida e ficar fora de dívida. Com a ajuda de Deus e sua disciplina, você pode tornar-se livre de dívida e pode permanecer deste modo.
Algumas Concepções Errôneas
  • Ter mais coisas me fará ser feliz. As propagandas nos dizem que nosso objetivo pessoal deveria ser: "Vida, liberdade e a compra da felicidade!" O problema é que os nossos anseios sempre excederão nossos proventos! "A pessoa que ama o dinheiro nunca tem o suficiente. É a velha tolice de pensar que dinheiro traz felicidade! Quanto mais se tem, mais se gasta ..." (Eclesiastes 5:10-11a).
  • Ter mais coisas me tornará mais importante. Somos levados a crer que os bens determinam o nosso valor. Se temos pouco, então devemos valer pouco também. Sendo assim, precisamos adquirir mais e mais – um novo e reluzente automóvel, roupas de grife, coisas que equiparem ou superem o que os outros possuem. Até descobrir que eles também adquiriram mais coisas! Não confunda o valor de suas posses com o seu valor próprio!
  • Ter mais coisas me dará mais segurança. Na visão do homem rico, a riqueza é uma defesa invencível, uma alta muralha de segurança. Que sonhador! De quantas maneiras alguém pode perder tudo da noite para o dia? Existem incontáveis maneiras. Porém, a única maneira de você obter a verdadeira segurança é colocando-a em algo que não lhe possa ser tirado.
Estas três declarações são mais que conceitos enganosos – são mentiras! Na próxima semana, veremos a verdade.
Planejamento financeiro
Provérbios 27:12 diz: "O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as conseqüências."
O seguinte plano financeiro ajudará primeiro uma pessoa ou família para eliminar dívidas, e proverá diretrizes para ficarem fora de dívida.
1. Transfira a propriedade de cada posse a Deus (Salmo 8:6, Deuteronômio 5:32-33).
2. Dê a Deus a parte dele, o dízimo, de seu salário bruto, primeiro (Malaquias 3:10, Provérbios 3:9-10).
3. Não permita mais nenhuma dívida, inclusive empréstimos bancários ou pessoais, e pique os cartões de crédito se não for capaz de pagá-los integralmente a cada mês (Provérbios 24:3).
4. Desenvolva um orçamento equilibrado realístico, que permitirá todo credor receber tanto quanto possível (Provérbios 16:9).
5. Comece a eliminar as dívidas (Salmo 37:21, Provérbios 3:27-28), começando primeiro com a menor. Uma vez que a menor for liquidada, invista todo o dinheiro na próxima, e assim por diante.
Em geral, se estes passos são seguidos, a família média se livrará de dívida em mais ou menos cinco anos e o problema que causou a dívida terá sido corrigido.
Alguns Fundamentos Para a Liberdade Financeira
Mantenha Os Registros em Boa Ordem. Este é o princípio da prestação de contas. "Eu simplesmente não sei onde vai parar o dinheiro. Eu não tenho tempo para fazer os registros". Quando ouço estas afirmações tenho vontade de dizer: "Você tem tempo para se preocupar?" É preciso que você saiba o que deve, quanto possui, quanto ganha e para onde o dinheiro vai. "Por todos os meios possíveis, torne-se um homem que conhece e entende a vida..." (Provérbios 23:23). No começo pode parecer uma exercício chato ou até mesmo uma cobrança idiota. Mas se você começar a marcar todos os gastos,inclusive aqueles centavinhos, verá que no final foi comprado uma série de coisas desnecessária. E assim aos poucos poderá esta criando uma mente critica de comprar ou não. Faça o teste. Tenho dito para cada membro da Monte Hebron que o problema maior não é viver com os 90% que Deus deixa conosco, mas tentar viver como se fosse 120%.
Planeje Seus Gastos. Este é o princípio do orçamento. A liberdade financeira não é determinada por quanto dinheiro você ganha, mas sim pela forma como você gasta o que ganha. Deixe-me fazer uma afirmação importante: Nos endividamos porque gastamos mais do que ganhamos! Trata-se de uma epidemia chamada "compra por impulso". Como se soletra libertação da dívida? O-r-ç-a-m-e-n-t-o! O orçamento é simplesmente o GASTO PLANEJADO. Você está determinando para onde vai o seu dinheiro, ao invés de tentar descobrir onde é que ele foi parar! "Quem planeja com cuidado tem fartura, mas o apressado acaba passando necessidade" (Provérbios 21:5). Se não deu para comprar este mês, deixe para o outro quem sabe até lá você perceberá que pode viver sem aquela calça, aquele sapato etc.
Poupe Para o Futuro. "O homem de bom senso economiza..." (Provérbios 21:20). No país onde eu vivo, uma pessoa comum poupa em média menos de 5% de seus ganhos. Por quê? Porque vivemos numa sociedade do tipo "viva para o dia de hoje", o que significa basicamente: "Eu quero isto e o quero agora!" Adquira o hábito de poupar pelo menos uma pequena quantia cada vez que você receber.
Aprecie Aquilo que Você Já Tem. Aprenda a se sentir contente com o que já possui. Isto é difícil, porque nos comparamos a outras pessoas, pensamos que merecemos mais e, a menos que tenhamos as engenhocas mais modernas, as roupas ou o carro mais luxuosos, não nos sentimos valorizados. Confundimos o nosso valor próprio, com o nosso valor de face. "... Aprendi a estar satisfeito com o que tenho" (Filipenses 4:11). É difícil, admito, mas a Bíblia diz que devemos aprender a bênção da satisfação. Numa reunião dos diáconos estavam falando exatamente sobre esta questão de querer comprar coisas que estão na moda, ou porque todos os meus amigos estão tendo. Viver uma vida simples, mas com conforto não é difícil, e conforto às vezes é grátis.
Devolva a Deus. Significa aceitar que todas as coisas – inclusive o nosso dinheiro – no final das contas, pertencem a Deus e Ele nos pede que o devolvamos a Ele com alegria, de boa vontade, generosa e prontamente. Ele nos deu habilidade para ganhar esse dinheiro e a melhor forma de administrá-lo é fazer como Ele diz: "Dê honra ao Senhor, oferecendo a Ele a primeira parte de tudo quanto você ganha. Ele encherá completamente os seus celeiros ... até TRANSBORDAREM!" (Provérbios 3:9-10). Deus é mesmo tremendo com esta lei, se você for fiel os teus celeiros (casa, sobrevivência) serão prósperos. Por isso eu digo a Igreja (PIBJ) que eu acredito em campanha de FIDELIDADE e não de PROSPERIDADE, pois na Bíblia a prosperidade é conseqüência de nossa fidelidade.
Como usar bem seu cartão de crédito
"O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as conseqüências" (Provérbios 22:3).
O crédito e os cartões de crédito não causam problemas financeiros. É o abuso e o mau uso do crédito e dos cartões que criam os problemas financeiros. Porém, através da disciplina, os consumidores podem desfrutar da conveniência dos cartões de crédito sem entrar na armadilha da dívida, tão freqüentemente associada com o uso de cartões de crédito. Em seguida, colocamos algumas sugestões sobre como você pode usar os cartões de crédito para seu benefício e conveniência e ainda não lhes permitir que eles o controlem.
Usando cartões de crédito
As seguintes sugestões lhe ajudarão a controlar o uso do seu cartão de crédito.
Mantenha um registro de todas as suas compras efetuadas com cartão de crédito. Faça isto do mesmo modo que você registra transações de conta corrente.
Nunca use cartões de crédito para comprar qualquer coisa que não esteja em seu orçamento.
Lembre-se sempre de que só porque você tem a condição financeira para adquirir algo, não significa que você tem que comprar isto.
Preferencialmente use apenas um cartão de crédito, que poderá ser seu próprio cartão do banco. Cancele todos os outros.
Aceite um limite de crédito que você pode pagar facilmente por completo com sua renda atual, e rejeite todos os aumentos de limite de crédito.
Rejeite qualquer adicional de preço por compras com o cartão de crédito. Caso a loja insista, não efetue a compra com o cartão.
Pagando a conta
O pagamento de juros do cartão de crédito é um desperdício de dinheiro. Pague o total de sua conta na data do vencimento. Pagando integralmente, você nunca terá que pagar juros. No mesmo dia que você fizer uma compra com seu cartão de crédito, deduza este valor da categoria apropriada, no orçamento. Você gastou o dinheiro, assim ele já não é mais dinheiro disponível para gastar. Tão logo você receba seu extrato mensal, pague-o na data do vencimento.
Se você não pode pagar
No primeiro mês se você tiver uma conta de cartão de crédito, e que não possa pagá-la integralmente, destrua o cartão de crédito. Nunca o use novamente. Não adquira outro, e tente pagar integralmente o saldo devedor o mais cedo possível.
Depois de liquidar a dívida do cartão
Se você realmente necessita de um cartão de crédito, tente usar um cartão de débito. Um cartão de débito funciona como um cheque: debita sua conta corrente a quantia que você comprou. Se você precisa de um cartão de crédito para fazer reservas em hotel ou aluguel de carros e eles não aceitam um cartão de débito, tenha certeza de que você guardará seu cartão num lugar de difícil acesso, onde não será tentado a usá-lo (caso você tenha já problemas de não controlar seus gastos).
Conclusão
O melhor modo para evitar problemas financeiros é evitar as armadilhas que os causam. A causa primária de problemas financeiros para a maioria das famílias é o mau uso e o abuso de cartões de crédito. Se as famílias puderem viver sem cartões de crédito, terão vantagens. Se sentem que precisam de um cartão de crédito, seu uso disciplinado e pagamento integral na data do vencimento assegurarão o bem estar da família.
Aqui vão os links para a planilha de orçamento caseiro que tenho me utilizado
INFO 2008
http://spreadsheets.google.com/pub?key=pvEi8hPvbMCYh3dnnaFm1GQ
Postar um comentário